sábado, 8 de julho de 2017

Gilberto Mendonça Teles, Falavra, 1972.

"As palavras engendram suas próprias
aventuras no espaço. Sendo neutras,
circulam como sombras devolutas
surpresas nos seus altos ministérios.

De vez em quando saltam novas ordens
desses seres volúveis que se alinham
noutro nível,
                    por entre a voz do que é
e a franja do mistério que se instaura
e transparece, arbitrário.

Ante os nervos das cordas e dos tímpanos
uma Falavra - folhiflor - desliza
motivada na linguagem,
                                       rio
calcá
         rio que atravessa e executa
a solidão humana."

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Federico García Lorca, Poeta em Nova Iorque, 1930.

"Quero chorar porque me dá na gana,
como choram os meninos do banco de trás,
porque não sou um homem, nem um poeta, nem uma folha,
mas um pulso ferido que ronda as coisas do outro lado.

Quero chorar ao dizer o meu nome,
rosa, menino e abeto na margem deste lago,
para dizer minha verdade de homem de sangue
matando em mim a troça e a sugestão do vocábulo.

Não, não. Eu não pergunto, eu desejo.
Voz minha libertada que me lambes as mãos.
No labirinto de biombos é meu corpo nú o que recebe
a lua de castigo e o relógio sob a cinza.

Assim falava eu.
Assim falava quando Saturno parou os comboios
e a bruma e o Sonho e a Morte andavam a buscar-me.
Andavam a buscar-me
ali onde mugem as vacas que têm patinhas de pagem
e onde flutua meu corpo entre os equilíbrios contrários."

 

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Diálogo com K. Stockhausen, 1985.

"E a coisa estranha que sai fora da marca de produção é considerada pouco interessante. Encontrar-se em sintonia com a bagagem dos sentimentos já não conta. As propostas da visão interior passam despercebidas. Aponta-se apenas para o que é didacticamente demonstrável, fornecendo a configuração verbal do que se vai fazendo."

domingo, 25 de junho de 2017

Agustina Bessa-Luís, O Concerto dos Flamengos, 1994.

       "A música tem qualquer coisa de assassino; mata em volta os nossos pensamentos, reduz o espírito a uma simples interdição."

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Céline, Viagem ao Fim da Noite, 1932

(...)Ela(...)"Estava decidida a semear-me em plena noite, o mais depressa possível. Era natural. "Á custa de ser empurrado assim pela noite dentro, acabarei por ir dar a qualquer lado," dizia para comigo. Era a consolação. "Coragem, Ferdinand", repetia a mim próprio, para me amparar, "à custa de seres posto no olho da rua em todo o lado, certamente acabarás por descobrir o truque que mete medo a todos, a todos, por mais sacanas que sejam, e que só no fim da noite deve existir. Por isso eles não vão lá, ao fim da noite!"

terça-feira, 4 de abril de 2017

Concerto de "pré-lançamento" do CD "PedraPapelTesoura"


Sábado dia 8! Acabadinhos de sair do estúdio... eu e o François Choiselat teremos o prazer de tocar nesta sala cada vez mais incontornável no panorama da música "livre" em Lisboa, Portugal! Pessoalmente, como se trata de um projecto muito acarinhado por mim, a vossa presença será uma motivação especial para voos muito altos! ...nas improvisações / composições em tempo real! E com o nosso CD prestes a sair, os jogos de "PedraPapelTesoura" vão estar ao rubro!

Next Saturday 8! after the recent recordings for CD outcoming... - the performance! Me and François Choiselat will have the pleasure to play our music in O'Culto da Ajuda , a home for "free" music in Lisbon, Portugal! Personally, because it is a very special musical project for me, your presence will be also a special motivation for a great journey with the improvisations / real time compositions of this great duet doublebass - vibes! ...With the outcoming CD, "PedraPapelTesoura" games will be at their best!





http://misomusic.com/index.php?option=com_icagenda&view=list&layout=event&id=340&Itemid=503&lang=pt